Marcos Barbosa de Oliveira                    

                                                          Professor-associado da Faculdade de Educação,  Universidade de São Paulo, aposentado

                                                          Professor-colaborador do Programa de Pós-graduação em Filosofia, FFLCH-USP                      

                                                                                            e-mail: mbdolive@usp.br                                                


                                                  
                               Currículo Lattes   

                                  

                                                                                   Textos selecionados:
                               
                               
A epidemia de más condutas na ciência: o fracasso do tratamento moralizador. Scientiae Studia 14(4): 867-897, 2015.
                               
                                Technology and basic science: the linear model of innovation. Scientiae Studia 12 (Special Issue): 129-146, 2014.

                               
A dádiva como princípio organizador da ciência. Estudos Avançados, 28(82):201-223,2014.

                                       Inovação e neoliberalismo: a experiência brasileira. Em Caldart & Alentejano (orgs.), MST, universidade e pesquisa. São Paulo: Expressão                                                    Popular, 2014, p. 39-59.
                                Resenha de Hermínio Martins, Experimentum humanum: civilização tecnológica e condição humana. Tempo Social 25(2): 227-229, 2013.
                                               (Publicada também, com o título 'A tirania das possibilidades tecnológicas' em M. A. d'Incao (org.), Domínio das tecnologias:
                                               ensaios em homenagem a Hermínio Martins
. São Paulo: Letras a Margem, 2015, p. 13-16.) 
                       
                               
Sobre a mercantilização da ciência: a dimensão programática. O Comuneiro, nº 16, março 2013.    
                               
                                
On the commodification of science: the programmatic dimension. Science & Education, 22(10): 2463-2483, 2013.

                                Formas de autonomia da ciência
. Scientiae Studia 9(3): 527-561, 2011.        

                                O inovacionismo em questãoScientiae Studia 9(3): 669-675, 2011.

                                A estratégia dos bônus: três pressupostos e uma consequência. Trabalho, Educação e Saúde, 7(3): 419-433, nov. 2009/fev.2010.
                                                        Publicado também em O comuneiro, nº 17, setembro 2013.                                   
                              
                               A avaliação neoliberal na Universidade e a responsabilidade social dos pesquisadores. Scientiae Studia, 6(3): 379-387, 2008.

                               Neutralidade da ciência, desencantamento do mundo e controle da natureza. Scientiae Studia, 6(1): 117-116, 2008.

                               Hempel, Semmelweis, e a verdadeira tragédia da febre puerperal (em colab. com Brena Paula M. Fernandez). Scientiae Studia, 5(1):
                                              49-79, 2007.


                              
Ciência: força produtiva ou mercadoria? Crítica marxista 21: 77-96, 2005. Publicado também em O comuneiro, nº 2, março 2006.

                         Não se pode deter o avanço da ciência? Reportagem V(68): 42-43, maio 2005.

                         Science and the values of popular movements Trans/form/ação 27(1): 133-147, 2004.

                         Desmercantilizar a tecnociência Em Boaventura de S. Santos (org.), Conhecimento prudente para uma vida decente: “Um discurso sobre
                                                 as ciências” revisitado
. Edição portuguesa - Porto: Edições Afrontamento, 2003, pp. 227-250. Edição brasileira - São Paulo:
                                                 Cortez, 2004, pp. 241-266.

                         Considerações sobre a neutralidade da ciência Trans/form/ação 26(1): 161-172, 2003.

                         Tecnociência, ecologia e capitalismo Em I. Loureiro, J. C. Leite e M. E. Cevasco (orgs.), O espírito de Porto Alegre. São Paulo, Paz e Terra,
                                                 2002, pp.109-113. Publicado também em O comuneiro, nº 5, setembro 2007. 

                          Sobre o significado político do positivismo lógico. Crítica marxista 14: 73-84, 2002.

                          A ciência que queremos e a mercantilização da Universidade Em I. Loureiro e M. C. Del-Masso (orgs.), Tempos de greve na universidade
                                                 pública
. Marília: Unesp Marília Publicações, 2002, p.17-41.

                          Prefácio (em colaboração com Hugh Lacey) a Biopirataria: a pilhagem da natureza e do conhecimento, de Vandana Shiva.                                     Petrópolis: Vozes, 2001.

                          A epistemologia engajada de Hugh Lacey II Manuscrito XXIII(1):185-203, 2000.

                          A epistemologia engajada de Hugh Lacey I Manuscrito XXI(2):113-35, 1998.

                          Entrevista

Do livro Da Ciência Cognitiva à Dialética (São Paulo: Discurso Editorial, 1999)

        Apresentação

        Cap. III: Filosofia e ciência cognitiva

        Cap. IV: Natureza e cultura

        Cap. V: O que todo cientista cognitivo deve saber sobre a lógica

        Cap. XI: A ciência cognitiva e a robotização do homem